A barba é jovem

Olha só que curioso. Nas últimas aparições de TV que fizemos, tipo o Jô Soares e o Acesso MTV, eu, tonto que sou, cortei a barba para, admito, “parecer mais jovem”. Que ridículo, né? Enfim. Estava seguindo uma lógica que, pra mim, é lógica: barba é coisa de gente velha. Não faz sentido isso?

Mas aí ontem passou na cultura a nossa entrevista no Radiola, o programa da Tramavirtual na Cultura, para o qual eu tinha esquecido de fazer a barba, acho. Aí repare no último comentário que o João Marcello Bôscoli faz:

Tá certo que a minha barba nem é uma barba direito, mal consegue esconder meu rosto, e isso teoricamente explica, mas hoje eu vi um povo falando no Twitter (e isso pra mim já é evidência o bastante) que o ator Gregório Duvivier, que faz o nerd verborrágico do bom filme “Apenas o Fim”, deixou a barba crescer pra parecer mais jovem no longa. Acuma?

Efeito Los Hermanos, sem dúvida (aliás, totalmente no contexto desse filme, PUC-RJ e tal), até porque eu não imagino o Jonas Brothers de barba, mas isso não explica totalmente a questão. Pra mim, boa parte do lance do Los Hermanos era querer parecer mais velho. Ou esconder um queixo infeliz, dizia o Camelo. Se bem que ele mesmo tem feito sua parte para colocar a barba no imaginário dos mais jovens… #infame

Não tem ponto nenhum esse post, mas queria também dizer que o filme, “Apenas o Fim”, é legal mesmo, merece ser visto. Trabalho de nerdzinho de cinema, rola uma certa metalinguagem, sem apelação. Mas a meu ver o grande mérito da proposta (80 minutos de um casal tendo DR) não virar uma sessão waterboarding é mesmo do ator, que parece formado com A++ na Escola Selton Mello de Auto-Interpretação (chute, né, não faço ideia, mas parece que ele é daquele jeito mesmo). Os diálogos mais absurdos e nerds saem com naturalidade intercalados por frases honestas, e incrivelmente não parece teatral.

Já a Erika Mader, bem… ainda estou pensando se são as falas que sobraram pra ela que são bem mais fracas (porque são), ou se ela que está mal mesmo, e acho que é uma mistura das duas. Toda vez que ela abre a boca, você lembra “ah, estou vendo um filme com dois atores interpretando jovens tendo diálogo impossivelmente cheio de referências pop”. Falta identificação, sei lá… Difícil acreditar que aquela menina jogue videogame, difícil acreditar que ela vai viajar sem motivo, quando você já está se irritando com aquela personagem irritante o cara vai lá e salva a cena. Talvez sentindo essa oscilação de entrar e sair da história, a edição do filme deixa ela só com uns 30% do diálogo. E sai no lucro.

Mas o que eu sei, né? Ainda tenho barba na cara.

4Chan20070617210716

Ah, ficaquetaê

Anúncios

9 Respostas to “A barba é jovem”

  1. Andrezza Says:

    não vi esse filme ainda, mas pelo trailer já dá pra notar que ele tá melhor do que ela.

    e, porra, eu não sei explicar isso da barba… talvez seja isso de hoje ser cool ter barba, e até bigodinho, aí quem vê já faz essa ligação. tem barba, tá por dentro das temdemsias, então é jovial. mas sei lá, depende da pessoa também, uaheuaehuae

    se você pensar, usar camisa pólo listrada e óculos como o do carinha do filme também era coisa de gente velha até pouco tempo atrás.

    mas o que eu sei, né? nunca nem terei barba na cara.

  2. Mariana Says:

    Eu já não gostei muito da Erika Mader em Podecrer!, mas o Gregório Duvivier é muito bom! Já vi ele no Zenas Emprovisadas e é muito legal

    Não tira a barba, você fica bem de barba.

  3. priscila Says:

    nem vi o filme, mas ele é o protagonista como em todos os filmes de crise de relacionamento com referências pop. as mulheres sempre são bem resolvidas e servem de escada pro cara. pensa em uma lista aí e repara.

    até falei pro claudio torres (que acabou de lançar o tal “mulher invisível” que tem um pé nesse estilo apesar de ser mais engraçadão) que não entendo pq não tem filme desse estilo na visão da mulher. talvez seja por isso que ela esteja ruim e as falas dela sejam piores. mas enfim… é pra palpitar? palpitei!

    vc de barba e cabelo grande parece o rolo da turma da monica, HAhaha… mas isso é legal. não?

    ah! e nos hermanos quem queria esconder a falta de queixo era o bruno. o resto era meio desleixado merrrmo.

    • Gustavo Falso Says:

      Hum, verdade. Mas nos bons do Woody Allen as mulheres são boas também… Apesar que ele fica com bem mais graça, lógico. Deve ser por isso, referência…

      E jura que não era o Camelo? Achei ter lido que ele tinha queixinho de Noel Rosa… ahahaha

  4. priscila Says:

    mas woody allen não vale, né? ele escreve bem até pra bicho e seres inanimados.

    o noel da banda é o bruno. só se ele virou boxeador entre um disco e outro, perdeu o queixo, adotou a barba e eu não reparei. investiguemos

  5. Patricia Scarpin Says:

    Cheguei aqui vindo do Olhômetro para ler o teu texto sobre o Mookwalker (game) – adorei, aliás. Depois fui fuçar mais um pouquinho e foi uma coincidência super bacana – o Felipe foi aluno meu há um super tempo.

    Vou voltar mais vezes!

    • Gustavo Falso Says:

      O Felipe Barba, daí do vídeo? Que legal! Ele tocava no Ecos Falsos, minha banda, até bem pouco tempo. Agora tá em outro projeto legal, o Bigode. Barba e bigode, hahaha

      Prazer, e obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: