Em 97, qualquer um era cineasta

Ontem eu fiz aniversário pela 28ª vez. Acho que por causa do 8, redondinho, gordinho, o número é bem mais pesado do que 27. Ou seja, mais um capítulo da novela que sempre será melhor antes do que agora, SAUDOSISMO ATTACK!!!

Na verdade eu ainda gosto de redescobrir coisas em VHS ou, mais raro até, CD-ROMs que a gente encontra pelas gavetas da vida. Foi o caso ontem, nesse meu aniversário, ao qual por sinal compareceu o Alex, amigo mais antigo com que mantenho contato (fizemos a conta e fazem assustadores 20 anos agora em 2011).

O que havia nesse CD-ROM? Alguém com menos de 20 anos sabe o que é um CD-ROM? Bem, ele tinha vídeos, 48 deles. Vídeos de um minuto, como esse aqui:

Essa voz fanha imitando o “Saúde É o Que Interessa” da Escolinha do Professor Raimundo sobre uma trilha de Speed Racer versão dance (não fica mais anos 90 que isso) é minha.
Esse foi um dos vídeos selecionados para o Minuteen 97, uma “versão teen” do Festival do Minuto (sacaram?), bolada pra estimular a produção de vídeos entre jovenzinhos escolares de até 14 anos. Hoje a necessidade mais urgente é que os jovenzinhos PAREM de produzir vídeos, principalmente de si mesmos pelados no celular, mas o colega leitor precisa lembrar que naquela época a gente estava mais perto de acreditar em raios caindo em computadores do que na possibilidade de existência do YouTube.

Os cinco vídeos que estão nesse post tiveram algum envolvimento da minha parte, porque também não era tão comum ter câmera de vídeo em casa, muito menos dois videocassetes e paciência para editar, então a rota mais comum era juntar uma patotinha na sua sala de aula e fazer uma porção de trabalhos de uma vez. Como vocês podem ver, edição no dedo e títulos filmados direto do computador eram all the rage:

Essa belezura, na qual figuram a minha pessoa 50 quilos mais leve com um boné do Lakers e o meu supracitado amigo Alex, acreditem ou não, foi um dos três vídeos premiados naquele ano. Um júri de celebridades escolhia três vencedores, e cada um recebia um cheque de mil reais (uma boa grana na época; hoje também, apesar que eu lembro que eles descontaram os impostos).

Quem nos elegeu foi a Rosi Campos, veja só. O vídeo é bem cretino, mas até que as brincadeiras de linguagem são divertidinhas (ela escreveu uma justificativa do voto, acho que foi algo nesses termos). O outro jurado eu lembro que era o Laerte (ou seria o Angeli?), e ele escolheu esse filme aqui, que convenhamos, é bem melhor que o nosso. MAS, como minha pessoa ruim não pode deixar de notar, elas fizeram esse vídeo num workshop, então sei lá, né, acho que o nosso era mais PUNK DIY, tá ligado?

O terceiro jurado e vencedor em nem lembro.

Fino, né? Bom, melhor que o último filme da Suzana Amaral, pelo menos. E o som de bateria no final foi pura coincidência.

Lembro que tinha um moleque todo “sou cineasta”, citando referências mil, que fez um vídeo bem bom e ganhou só menção honrosa. Ele deve ter ficado puto da vida. Já pensou se era o Esmir Filho? Hahah, ia ser muito bom. De hoje em diante, vou achar que era o Esmir Filho.

Esse de cima, o “Vida de Pênis”, era o que todos nós achávamos que poderia ganhar. Tinha até saído foto dele em algum jornal, se não me engano. Era mesmo o melhorzinho dos cinco, as ceninhas acabaram todas dando certo – inclusive aquele “não não, não sobe até aí”, que na verdade era alguém opinando sobre o movimento da câmera. Cogitaram até usar a ideia em alguma campanha contra a AIDS (um negócio bem anos 90 também, se for pensar). “Cogitaram” se referindo aos nossos pais e professores, né. Mas convenhamos que era uma sacada razoável, se pensar que câmeras pequenas também eram novidade na época.

Agora, dos que a gente fez, o meu preferido foi esse:

Ideia simples, execução marromenos bem feita [Nota nerd: o som do ácido no estômago a gente tirou do Duke Nukem], ingenuidade honesta, e, ainda assim, uma piada de fluidos corporais. Fica aqui a menção honrosa póstuma.

Oh wait, nevermind

Anúncios

Tags: , , , , ,

3 Respostas to “Em 97, qualquer um era cineasta”

  1. Tweets that mention Em 97, qualquer um era cineasta « Missing Punchline -- Topsy.com Says:

    […] This post was mentioned on Twitter by Júlia Rocha de Souza, Gustavo Martins. Gustavo Martins said: Em 97, qualquer um era cineasta: http://wp.me/poq2M-bh (post novo no blog) http://wp.me/poq2M-bh […]

  2. Juka Says:

    eu dei muita, muita risada com os vídeos. Incrivel como você continua falando DO MESMO JEITO!

    Eu lembro de CD-ROM’s e concordo que ‘Hoje a necessidade mais urgente é que os jovenzinhos PAREM de produzir vídeos, principalmente de si mesmos pelados no celular’ porque, né, ta irritando já. Esses nego loco ficam difamando a juventude! 😦

    btw, PARABENS ATRASADO! Maluco, cê ta muito velho, não parece! haha

    e escreva mais, rs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: